domingo, 14 de outubro de 2012

Cambaleando...

Eu cambaleio entre as
possibilidades

A verdade almejada e a verdade
verdadeira se chocam.
A ruptura no ciclo do
Bem-estar me faz pensar sobre
a realidade

Posso isso, Queria aquilo... [?]
Ou seria o Contrário?
Tento focalizar e separar a
utopia do ócio criativo
A diferença entre não querer
fazer nada, e
não precisar

Morte ao planejamento.
Morte à falta de Sucesso.
Tudo acaba. Tudo Muda. Tudo some.

O quadro na minha parede,
devia me acalmar a mente,
Pessoas Calmas, num dia
muito frio no inverno de
Lugar-nenhum-coberto-de-neve.
Mas acabam por me estressar.
A calma delasc me irrita
"Será que elas não têm mais o
que fazer da Vida?"

Ter, elas têm. Precisam? Não

Esse é meu dilema.
O Dilema do porco-espinho
Rebelado
por um lado mandaria todos
à merda.
e faria o que me tornasse
feliz naquele momento
(Lê-se "melhor", ao invés de feliz)
Pelo outro lado do corrimão, empurrando
o primeiro porco-espinho escada a baixo
Temos um Hamster idiota,
Amando a todos, e
Ajudando o Mundo.
Escrever e ler, tocar, desenhar,
estudar e cantar,
OU
trabalhar, pensar antes de falar,
comer na hora certa, ajudar
e amar?

Não sei.
E nunca vou saber... [.]
Afinal, continuo cambaleando

Matheus Lima
23/08/2011

23:30 (meio tarde - de novo)

Bons tempos?

A vida continua mudando, enquanto
o rio das emoções segue
seu curso, turbulento e sinuoso,
através da floresta das
possibilidades do não ser

A verdade é que ser amado
e amar é um dom, daqueles
que correm contra a realidade.
- a cegueira no amor, a felicidade
na alma -

Durante os acontecimentos
simplórios, o mundo pisca
a vida se acende e
a felicidade mia, através da
escuridão da rotina

Olhar o nada, comer tudo,
rir da morte e da doença, fingir
a felicidade, suportar a
ignorância através do dia-a-dia

Morrer, comer, mijar, rir e cair.
Rodar, quebrar, fingir, tocar, dor,
dormir.

A montanha do desentendimento se
eleva, rachando a crosta dos
relacionamentos

Verdadeiro é aquele que não
ama, ou seria aquele que vê?
Amar não é estar, é querer.
Amar não é tentar, é poder ser.

Amor a primeira vista é inexistente,
diante da torre do pensamento.
 - O Amor é simples, não
 belo. -

Simplicidade e praticidade,
esse é o meu ideal, minhas
mulheres.
A beleza é a massa corrida
que cobre a infelicidade na
rotina do amanhã.
O sexo é o sexo.

Tentar e ser
é a felicidade, assim como
olhar e aceitar é a
grande banalidade do mundo,
proibida à raça humana.

Gostar não é humano.
Humano é precisar e
consequentemente, querer.

Por isso que o único amor
de que tenho certeza é o amor pelas
pessoas do dia-a-dia, àquelas
que normalmente não damos valor

Amo meu chefe, minha professora,
meu irmão e minha mãe.
Amo minha amiga, meu amigo.

A verdade é que o amor
é uma faca de dois gumes
ao quadrado.

A primeira dupla, é o ódio
seguido do término de um
amor qualquer, e a segunda
é a necessidade da existência
do ódio personificado, para
que exista o ser amado.

- - -

Quinta-feira
quase Sexta
23/06/2011

23:43